Putin avisa que se os EUA desenvolverem mísseis não autorizados, a Rússia fará o mesmo

“Faremos o mesmo”, avisou Putin ao negar as acusações de Trump contra a Rússia de violar o Tratado de Forças Nucleares Intermediárias.

Reuters

O Presidente russo, Vladimir Putin, avisou esta quarta-feira os Estados Unidos que, se os norte-americanos começarem a desenvolver mísseis banidos por tratados internacionais, a Rússia fará o mesmo.

As declarações de Putin às agências noticiosas russas acontecem um dia depois de o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, ter anunciado em Washington que as obrigações dos norte-americanos perante o Tratado de Forças Nucleares Intermediárias (INF) ficam suspensas em 60 dias.

O Presidente Donald Trump anunciou no início do ano que iria romper o INF, acusando a Rússia e a China — que não é signatária do tratado — de sistemáticas violações.

O Presidente russo sempre negou essa acusação e respondeu esta quarta-feira que a decisão dos EUA de abandonar o INF significa, na realidade, que os norte-americanos pretendem desenvolver os mísseis banidos pelo tratado. Nesse caso, avisa Putin: “Faremos o mesmo”.

Relacionadas

Wall Street animada com tréguas comerciais entre EUA e a China

Donald Trump não vai aumentar tarifas às importações chinesas durante 90 dias. O acordo foi alcançado durante a cimeira do G20 e os investidores reagiram positivamente, nomeadamente no setor automóvel. Nas matérias primas, o petróleo aumentou depois de alguns países exportadores de petróleo terem anunciado um corte na produção.

Kremlin aguarda encontro entre Putin e Trump antes do G20 no Japão

Cimeira vai decorrer em junho do próximo ano no país nipónico. Desejo moscovita surge depois do presidente dos EUA ter cancelado o encontro com o homólogo russo durante o G20 realizado este fim-de-semana em Buenos Aires, na Argentina.

Kremlin afirma que Trump cancelou encontro com Putin devido a problemas internos

Após o cancelamento da reunião do Presidente Donald Trump com o homólogo russo, Vladimir Putin, o Kremlin vem esclarecer que o cancelamento se deve à “situação política interna” nos Estados Unidos.
Recomendadas

Uma caixa de preservativos custa 153 euros na Venezuela. Saúde pública está em causa

A crise económica e política que se sente no país de Maduro levou a uma escassez geral de produtos e, em circunstâncias favoráveis, alguns destes bens nunca se considerariam preciosos, como medicamentos, géneros alimentares e contracepção.

Qual o truque por trás da fortuna de 87,4 mil milhões de euros de Bill Gates?

Apesar de ter descido uma posição na lista dos multimilionários, a fortuna de Gates aumenta a cada minuto e o co-fundador da Microsoft permanece em modo de criação de riqueza.

Novos contratos de concessão de blocos petrolíferos em Angola também vão permitir exploração de gás

Até à entrada em vigor do decreto publicado em maio do ano passado, todo o gás encontrado nas explorações petrolíferas em Angola pertencia ao Estado, o que estava a retirar o interesse aos investidores, admitiu a responsável.
Comentários