Respostas Rápidas: Quem é Paul Singer, o novo acionista da EDP?

Paul Singer adora comprar ativos problemáticos. Ganhou o gosto no final dos anos 70 quando constituiu o fundo para gerir o património da família. Já ganhou e perdeu milhões em todo o mundo, incluindo Portugal.

App “Luxy”

Paul Singer, fundador e CEO da gestora de fundos norte-americana Elliott Management Corporation comprou uma participação de 2,295% na EDP Energias de Portugal, informou esta terça-feira a energética portuguesa, em comunicado divulgado no site da CMVM.

Qual é o historial de Paul Singer e da Elliott Management?

Paul Singer, de 74 anos, é o fundador da gestora Elliott Management. Nasceu em Nova Jersey, nos Estados Unidos. Licenciou-se em Direito na Universidade de Harvard. No final dos anos 70 constituiu um fundo para gerir o património da família. Nunca mais parou de investir, especializando-se em ativos problemáticos.

Nos últimos 15 anos investiu em títulos de dívida soberana da Argentina, Peru e República Democrática do Congo, lucrando milhões. O milionário americano é um grande apoiante do Partido Republicano e um defensor público dos direitos dos homossexuais.

O que faz a gestora de fundos Elliott Management?

Segundo o site da empresa, a 1 de julho deste ano, a Elliott tinha cerca de 35 mil milhões de dólares sob gestão. Entre os elementos essenciais da estratégia da Elliott para gerar retorno consistente para os investidores, incluem-se “uma abordagem oportunistica ao trading”, acrescenta o site.

Segundo a BBC News, a Elliott Management ganhou atenção internacional a partir de 2002 durante o default da dívida soberana argentina.  A empresa recorreu a vários meios para recuperar o investimento e em 2012 obrigou a um novo default do país quando penhorou um navio argentino que estava atracado no Ghana.

Qual o histórico em Portugal?

Em 2011, o fundo apostou na queda do BES e em 2014 na descida das ações da Portugal Telecom, pouco tempo antes de ser conhecido o investimento em papel comercial da Rioforte.

É também um dos investidores da Oak Finance, sociedade veículo emprestou 835 milhões de dólares ao BES, semanas antes do colapso do banco português.

Que outras operações já atraíram atenção?

O fundo norte-americano Elliott anunciou em julho deste ano que assumiu a gestão do AC Milan e avançar com uma injeção de 50 milhões de euros para “estabilizar as finanças” do clube de futebol italiano. O fundo Elliott assume desta forma o controlo do clube, já que o investidor chinês Li Yonghong não honrou o vencimento da dívida.

Li tinha até ao passado dia 6 de julho para pagar 32 milhões de euros ao fundo americano, que emprestara a verba para a compra do AC Milan.

Outra das mais famosas operações do investidor aconteceu na Argentina. Através do NML Capital, o grupo de Paul Singer tinha 1,33 mil milhões de dólares em títulos de dívida. Em 2001, quando o país entrou numa crise profunda, os títulos pararam de ser pagos. Alguns credores, a maioria, chegaram a acordo com a Argentina.

Mas outros, onde se insere o NML, avançaram para tribunal que, mais tarde, veio a dar razão a Elliot, obrigando a Argentina a chegar a acordo com o investidor.

Ler mais
Relacionadas

Paul Singer, CEO da norte-americana Elliott Management, compra 2,29% da EDP

A Elliott Management é conhecida por investir em ‘distressed assets’, e o histórico da gestora passa pela aposta na quedas das ações da PT em 2014 e uma longa luta para recuperar o investimento em obrigações Argentinas após o ‘default’ de 2002.

Capital Group deixa de ser acionista da EDP

O grupo norte-americano já tinha reduzido a posição de quase 10% para 2,958% no início de outubro e agora informou que já não tem uma participação na energética liderada por António Mexia.

EDP: Capital Group corta participação de quase 10% para 2,96%

De acordo com o site da EDP, a 30 de junho o Capital Group era o segundo maior acionista da elétrica portuguesa, com uma participação de 9,97%.

Acionistas da EDP processam Estado e responsabilizam-no pelo primeiro ano de prejuízo em Portugal

Empresa revê metas para 2018 e corta estimativa de resultados em 25% a 37,5%, para um valor no intervalo entre 500 e 600 milhões de euros. Em Portugal o resultado será negativo, pela primeira vez desde a reprivatização. Política de dividendos vai manter-se.
Recomendadas

Trabalhadores da RTP manifestam insatisfação ao Governo e questionam contratações

A carta, subscrita por cinco sindicatos e pela Comissão de Trabalhadores da RTP, salienta que o “Serviço Público de Rádio e Televisão está a ser prestado num ambiente de crescente insatisfação e injustiça entre os trabalhadores, precários e do quadro”.

Comporta vai ser vendida por 158 milhões ao consórcio de Paula Amorim

Venda da Comporta ao consórcio composto pela Vanguard Properties e pela Amorim Luxury tem o valor de 158 milhões e sai ser votado em assembleia geral dia 27 de novembro, revelou fonte ligada ao processo ao Jornal Económico. Leia mais na edição de amanhã.

Siro e Cerealto unem-se e criam Ceralto Siro Foods

O novo grupo tem previsto concentrar os seus recursos e permitirá continuar a ser uma fornecedora especializada da Mercadona.
Comentários