Wall Street fecha em alta indiferente à subida da inflação

Wall Street fecha em alta. Isto num dia em que a inflação nos Estados Unidos acelerou para 2,1% em janeiro, face aos 2% de dezembro e à previsão de 1,9% dos analistas.

BRENDAN MCDERMID/Reuters

Os três principais índices de Nova Iorque fecharam em alta. O Dow Jones subiu 1,03% para 24.893,5 pontos; o S&P 500 ganhou 1,34% para 2.698,63 pontos, e o Nasdaq subiu 1,86% para 7.143,617 pontos. Isto num dia em que a inflação nos Estados Unidos acelerou para 2,1% em janeiro, face aos 2% de dezembro e à previsão de 1,9% dos analistas.

Em termos mensais, o índice de preços no consumidor geral subiu 0,5%, em comparação com os 0,1% de dezembro, superando também o consenso dos analistas. A subjacente avançou 0,3%, o mesmo valor que no mês anterior, segundo dados divulgados esta quarta-feira, depois de o novo presidente da Fed ter reafirmado o objetivo de uma inflação nos 2%.

A volatilidade marcou a sessão, com as ações a chegarem a estar em queda no inicio da sessão. Isto porque havia o trauma da semana passada, onde os dias negros vividos pelos mercados foram provocados por dados fortes do mercado do trabalho, especialmente no que refere à subida dos salários, pelo aumento da inflação e por um aumento das yields das obrigações soberanas. A conjugação dos dois fatores criaram receios que a Reserva Federal norte-americana (Fed) possa acelerar o aumento das taxas de juro, forçando um aumento do custo do financiamento das cotadas e oferecendo maior concorrência das obrigações (mais rentáveis) às ações.

As ações que mais subiram no Dow foram a Nike (+3,17%); o Goldman Sachs (+2,76%); a IBM (+2,66%); a Caterpillar (+2,66%) e o JP Morgan (+2,31%).

No sentido oposto a maior queda foi da Mcdonald´s Corp (-2,41%); a Verizon (-1,14%) e e Procter & Gamble (-1,01%).

O petróleo está a recuperar das perdas dos dias anteriores. O WTI nos EUA sobe 2,55% para 60,70 dólares e o Brent em Londres subiu 2,58%. O Euro valoriza face ao dólar 0,79% para 1,2449 dólares.