Boris Johnson vence segunda volta da votação para líder dos conservadores

Dominic Raab ficou fora da corrida porque não obteve os 10% de votos exigidos para passar ao próximo escrutínio, que acontece esta quarta-feira. Amanhã não conta a percentagem e será eliminado o último candidato à sucessão de Theresa May.

O político britânico Boris Johnson ganhou a segunda ronda de votações para a liderança do Partido Conservador e do governo do Reino Unido, com 126 votos dos 313 deputados.

Os resultados finais, divulgados esta terça-feira à tarde, deram o segundo lugar ao chefe da diplomacia britânica, o ministro Jeremy Hunt (com 46 votos), e o terceiro ao responsável pela pasta do Ambiente, Michael Gove (41 votos). Rory Stewart (37) e Sajid Javid (33) também foram apurados e fixaram-se em quarto e quinto lugar nas votações, respetivamente.

Dominic Raab ficou fora da corrida porque não obteve os 10% de votos exigidos para passar ao próximo escrutínio, que acontece esta quarta-feira. Amanhã não conta a percentagem e será eliminado o último candidato à sucessão de Theresa May.

Na primeira volta, que aconteceu esta manhã, Boris Johnson foi também o mais votado na primeira volta da eleição para novo dirigente dos ‘Tories’ e candidato a primeiro-ministro, com 114 votos.

O ex-ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, que prometeu apresentar um acordo para o Brexit a 31 de outubro, ganhou o voto de confiança dos deputados conservadores na primeira ronda para substituir a primeira-ministra Theresa May, após a sua demissão a 7 de junho.

Dos restantes 10 candidatos da primeira roda, Jeremy Hunt arrecadou 43 votos, Michael Gove recebeu 37 e Dominic Raab, ex-deputado do Brexit, conseguiu 27. Já  Andrea Leadsom, ex-líder da Câmara dos Comuns, Mark Harper e Esther McVey foram eliminados, tendo em conta que não alcançaram os 17 sufrágios estabelecidos pelo partido como limiar mínimo de passagem à segunda volta (correspondentes a 5% do total de deputados).

Brexit: semana crucial para substituição de Theresa May

Ler mais
Recomendadas

CGD: Perdas relativas a créditos de Berardo representam 1% das provisões do banco, diz fonte próxima ao empresário

Em 2015, a Caixa Geral de Depósitos (CGD) reconheceu quase metade como perdas, num total de 124 milhões de euros. Fonte próxima ao empresário diz que representa apenas 1% do total das provisões CGD entre 2006 e 2016.

CPI à CGD: PCP diz que “houve um desvio claro” da missão do banco público

O deputado do PCP Paulo Sá considerou hoje que houve “um desvio claro da CGD da sua missão como banco público”, e que a responsabilidade disso deve ser repartida pelos vários gestores do banco e pela tutela. “Houve um desvio claro da Caixa Geral de Depósitos [CGD] da sua missão como banco público. Isto é, […]

CPI à CGD: PS fala em falhas na gestão e defende relatório final despido de partidarite

João Paulo Correia considerou que ainda não é possível ao grupo parlamentar do PS fazer considerações finais sobre o relatório hoje conhecido, mas afirmou que há desde já conclusões que podem ser “densificadas”.
Comentários