Correios espanhóis iniciam a sua expansão internacional em Portugal

A entrada dos Correios espanhóis em Portugal pode servir de trampolim para a empresa entrar mais tarde nos países lusófonos, segundo o líder da empresa pública espanhola.

Os Correios espanhóis vão iniciar a sua expansão internacional em Portugal e no sudeste asiático. A empresa pública espanhola vai competir com os CTT e outras multinacionais no mercado português

“Agora somente operamos em território nacional e para construir a nossa posição é preciso sair das fronteiras”, disse o presidente da companhia Juan Manuel Serrano em entrevista ao jornal Cinco Dias.

“Temos o desafio de constituir uma rede de entregas em 24 horas mais eficiente na Península e isso também nos abre a porta aos países de língua portuguesa”, segundo o líder da empresa pública espanhola de serviços postais e encomendas.

Juan Manuel Serrano também explicou o racional da entrada da empresa no mercado asiático. “Precisamos de crescer internacionalmente e o sudeste asiático é o principal ponto de origem de encomendas a nível mundial, com um volume cada vez maior”.

A empresa detém atualmente 2.396 agências em Espanha e já está em conversações com bancos e outras empresas para ampliar a sua rede.  Em 2018, teve prejuízos na ordem dos 150 milhões de euros.

Recomendadas

Danos reputacionais podem ser resolvidos pelo CIMPAS desde 1 de junho

Resolver litígios nos seguros em três meses é o objetivo do CIMPAS, o centro de arbitragem de seguros. Rute Santos, a diretora geral do organismo afirma que 70% dos conflitos ficam resolvidos. Os danos reputacionais podem ser alvo de reclamação no CIMPAS.

Negócio da nuvem cresce até 50% nas empresas de software

Empresários e gestores ligados às Tecnologias de Informação afirmam que já não há impedimentos à migração para ‘cloud’, tanto orçamentais, como de segurança.

PremiumFlixbus, a “Uber dos autocarros”, já tem 140 mil clientes em Portugal

A empresa só entrou em Portugal em 2017, mas já liga por autocarro mais de 20 cidades nacionais a mais de 50 destinos externos. Pablo Pastega quer a abertura do mercado de ‘Expressos’.
Comentários