Garrigues assessora Novo Banco na venda de carteira superior a 700 milhões de euros

A carteira, com um valor bruto contabilístico de 716,7 milhões de euros, é composta por 8.726 imóveis localizados em Portugal e em Espanha, incluindo edifícios e frações com usos residencial, industrial, comercial e de serviços, e também terrenos.

A equipa de Imobiliário da Garrigues, liderada por Jorge Gonçalves e Miguel Menezes da Silva, assessorou o Novo Banco na negociação e celebração de um contrato-promessa para a venda de uma carteira de ativos imobiliários composta por mais de 8.700 imóveis, operação designada por “Projeto Viriato” e anunciada como sendo “a maior operação de venda alguma vez realizada em Portugal no setor imobiliário, em número de ativos”.

A carteira, avança a sociedade de advogados, em comunicado, com um valor bruto contabilístico de 716,7 milhões de euros, é composta por 8.726 imóveis localizados em Portugal e em Espanha, incluindo edifícios e frações com usos residencial, industrial, comercial e de serviços, e também terrenos.

Os compradores são entidades indiretamente detidas por fundos geridos pela Anchorage Capital Group L.L.C., uma sociedade de investimento sediada em Nova Iorque, Estados Unidos.

O Novo Banco, por seu turno, anunciou que esta transação representa um importante passo no processo de desinvestimento de ativos não estratégicos da instituição, estimando receber cerca de 388 milhões de euros no contexto da operação (o valor final encontra-se dependente da carteira final de ativos a alienar).

O grupo Novo Banco prevê que a transação se conclua até ao final do ano, uma vez reunidas todas as condições necessárias à formalização da transmissão dos imóveis.

Recomendadas

Inteligência Artificial: ‘in or out’?

Porque não trabalhamos juntos e assinalamos no mapa a prestação de serviços jurídicos “made in Portugal”?

PremiumLuís Marques: “Devemos contar que a carga fiscal continue à volta dos 35% do PIB”

Luís Marques, ‘partner’ e Tax Leader da EY, entende que Governo não tem margem para descer impostos. Aplaude as medidas para reduzir a fatura da luz e novas regras na tributação das horas extra – e diz que falta a redução do IRC.

Advogados vão pagar menos quotas em 2019

A proposta que estipula a alteração do regulamento das quotas dos advogados e a sua redução em cerca de 1,2 milhões de euros foi aprovada pela assembleia-geral extraordinária da Ordem dos Advogados.
Comentários