“Devastador e dantesco”: Já ardeu 80% do Pinhal de Leiria

Paulo Vicente, Presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande, estima que tenha ardido 80% da manta verde do Pinhal de Leiria, referindo a existência de um cenário “devastador e dantesco”.

Bombeiros combatem um incêndio nas arribas da Foz do Arelho, Caldas da Rainha, 15 de outubro de 2017. CARLOS BARROSO/LUSA

Depois de, no início de agosto, Paulo Vicente se ter revelado preocupado com a falta de limpeza da Mata Nacional de Leiria, o Presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande revela à Lusa que já terá ardido 80% da manta verde do Pinhal de Leiria, no seguimento da mais recente onda de incêndios.

Ao mesmo tempo que alertava para “todas as consequências que isso acarreta”, Paulo Vicente referiu que se vive um “cenário devastador e dantesco” no concelho, algo que, à data, também a Quercus fez, dando conta do desinvestimento do Estado nesta matéria, sobretudo na ótica da defesa da floresta contra incêndios.

De acordo com o Jornal de Notícias, Paulo Vicente explicou na altura que que compete às câmaras fazerem a gestão do combustível – ou seja, a limpeza da matas – numa faixa mínima de 10 metros, em ambos os lados das vias, nas estradas municipais, obrigação que passa para a Infraestruturas de Portugal (IP), entidade que gere as Estradas Nacionais (EN) que atravessam o Pinhal de Leiria.

“O Pinhal de Leiria está sujeito a que aconteça um cataclismo enorme por falta de limpeza e de tratamento, que poderá provocar um incêndio que irá destruir a maior parte do Pinhal de Leiria”, avisou Gabriel Roldão, 81 anos, estudioso do Pinhal de Leiria há mais de quatro décadas àquele jornal.

Recorde-se que o distrito de Leiria conta com 17 ocorrências, combatidas por 761 operacionais, 226 meios terrestres e três meios aéreos. As centenas de incêndios que deflagraram no domingo, o pior dia de fogos do ano segundo as autoridades, provocaram pelo menos 31 mortos e dezenas de feridos, além de terem obrigado a evacuar localidades, a realojar as populações e a cortar o trânsito em dezenas de estradas, segundo dados da proteção Civil avançados pela Agência Lusa.

Relacionadas

Incêndios: Novo balanço aponta para 36 mortos e 51 feridos

Número de mortos nos incêndios em Portugal voltou a subir de acordo com o último balanço da Proteção Civil. Estão cinco mil bombeiros no terreno.

Incêndios: Estas são as estradas cortadas no Norte e Centro

Catorze estradas estavam hoje cortadas ao princípio da tarde devido aos incêndios que lavram no Centro e Norte do país, informou a GNR.

‘Parede de fumo’ de Vieira de Leiria corre mundo

A imagem tirada por Hélio Madeiras, da Autoridade Nacional de Proteção Civil, tornou-se viral e chegou mesmo a ser usada pelo organismo da ONU para as alterações climáticas.

Ardeu 70% do território de Vila Nova de Poiares, lamenta autarca

O presidente da Câmara de Vila Nova de Poiares, no distrito de Coimbra, estima que já tenha ardido cerca de 70% do território do concelho, havendo “algumas dezenas de habitações” que ficaram destruídas.

Incêndios: DGS apela à população para evitar exposição ao fumo

A população é aconselhada a tentar evitar a exposição ao fumo, mantendo-se dentro de casa com janelas e portas fechadas, em ambiente fresco. Se possível, ligar o ar condicionado no modo de recirculação de ar.

Madeira disponibiliza ajuda para combater os incêndios

Presidências do Governo Regional e da Câmara do Funchal endereçam sentimento de pesar à população afetada pelos fogos e disponibilizam apoio no combate aos incêndios que assolam o território continental.
Recomendadas

Não acordo no Brexit terá um impacto “relativamente pequeno” no mercado de trabalho alemão

Cerca de 41.000 britânicos estavam empregados na Alemanha em dezembro de 2017, um número que é “insignificante para o mercado de trabalho em geral”, revelou o governo de Angela Merkel ao “Der Spiegel”, em resposta ao partido de extrema-esquerda.

Presidente do Banco de Itália alerta para o impacto do défice mais alto sobre a dívida

Qualquer aumento nos gastos do défice que não ajude a impulsionar o crescimento econmico estrutural poderá colocar a dívida da Itália “num rumo insustentável” referiu Ignazio Visco.

Do Marquês ao e-toupeira: Sete processos que marcaram o mandato de Joana Marques Vidal

Da política, passando pelas empresas, até ao desporto, nenhum sector escapou às investigações criminais do MP. Estes foram os processos mais mediáticos que marcaram o mandato da procuradora-geral.
Comentários