Presidente do BCP defende fim do sigilo bancário nas comissões parlamentares de inquérito

Miguel Maya defende o fim do sigilo bancário nas comissões parlamentares de inquérito.

Cristina Bernardo

O presidente-executivo do BCP defende o fim do sigilo bancário nas comissões parlamentares de inquérito (CPI).

“Se queremos apurar a verdade não pode haver esse tipo de constrangimentos”, disse Miguel Maya em entrevista ao Jornal de Negócios/Antena 1 este sábado, 15 de junho.

“O tema do sigilo bancário é um tema que me preocupa. O sigilo bancário tem imenso valor, mas há momentos em que há outras coisas que podem ter mais valor. Eu acho que é importante que em sede de comissão parlamentar de inquérito, possa não haver sigilo bancário”, destacou o gestor.

“Os deputados estão a fazer perguntas que são legítimas para apurar a verdade, mas sabem que quem está do outro lado está sujeito ao sigilo bancário, não pode responder. Todas as decisões relevantes que tomei tenho a consciência daquilo que fiz em cada um dos momentos. Não poder responder sabendo a verdade, não o poder dizer com base no sigilo bancário,  eu veria com gosto que em sede parlamentar de CPI pudesse ser dispensado o segredo bancário”, afirmou o líder do BCP.

Recomendadas

Novo Banco faz fusão por incorporação com BES das Ilhas Caimão

Contactada pela Lusa, fonte oficial do Novo Banco confirmou a informação, explicitando que se trata de uma fusão por incorporação.

BCP ficou com 10,9% na Inapa que quer vender no mercado

O BCP ficou diretamente (sem contar com a participação do Fundo de Pensões) com 10,88% da Inapa que quer vender no mercado paulatinamente, para não perturbar a bolsa.

Contribuições para o Fundo de Resolução? Miguel Maya diz que solução não deve “endossar esta responsabilidade aos contribuintes”

O CEO do Millennium bcp, Miguel Maya, fez três pedidos à classe política portuguesa: estabilidade para o setor financeiro, previsibilidade para reforçar a confiança no investimento e regulação equitativa para todos os que operam no sistema financeiro português, independentemente do país de origem ou de serem bancos ou FinTech.
Comentários