Trump apela à OPEP: “o mundo não precisa de preços de petróleo mais altos”

“Se tudo correr bem, a OPEP continuará a produzir petróleo como o está a fazer, sem restrições. O mundo não quer ver, não precisa, de preços de petróleo mais altos”, escreveu hoje Donald Trump, na rede social Twitter.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu hoje à Organização de Países Produtores de Petróleo (OPEP) para não fazer subir o preço do crude, na véspera de uma reunião dos países membros em Viena.

“Se tudo correr bem, a OPEP continuará a produzir petróleo como o está a fazer, sem restrições. O mundo não quer ver, não precisa, de preços de petróleo mais altos”, escreveu hoje Donald Trump, na rede social Twitter.

A afirmação de Trump acontece na véspera de uma importante reunião de países membros da OPEP com outros países, em Viena.

Há seis meses, a OPEP acordou aumentos de produção para evitar que os preços do barril de petróleo subissem acima dos cem dólares, mas a discussão agora é à volta de estratégias de redução de produção, no momento em que o preço do barril se aproxima, em queda, de 50 dólares.

A afirmação de Donald Trump acontece ainda horas depois de o novo Presidente do México, Andres Manuel Lopez Obrador, ter anunciado que vai suspender novos contratos de exploração de petróleo em território nacional, até avaliar a estratégia de investimento internacional no setor.

O México é o 11.º maior produtor de petróleo do mundo e o 13.º em termos de exportação.

Ler mais
Recomendadas

Mercados em Ação. “Estejam atentos aos ‘posts’ de Donald Trump”, diz Bruno Janeiro

Bruno Janeiro, trader e country manager da ActivoTrades Valores, esteve na última edição do ‘Mercados em Ação’ e focou a política de comunicação do presidente norte-americano.

Mercados em Ação. “Tem havido uma grande afluência de brasileiros para o mercado nacional”, diz Pedro Delgado

No ‘Espaço Empresas’ do ‘Mercados em Ação’, entrevistámos Pedro Delgado, CTO da Do It Lean, sobre o setor do software.

Wall Street fecha em baixa dada a persistência da tensão entre EUA e China

Depois de uma queda brusca do mercado, na segunda-feira, desencadeada pelo anúncio de represálias chinesas aos novos direitos alfandegários impostos pelo Presidente norte-americano, Donald Trump, “os investidores pareciam um pouco mais otimistas”, dizem analistas citados pela Lusa.
Comentários