Trump poderá anunciar novas tarifas sobre importações chinesas

O presidente dos Estados Unidos terá ordenado um novo conjunto de tarifas sobre as importações chinesas, segundo adianta a agência Reuters.

Kevin Lamarque/REUTERS

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, terá ordenado um novo conjunto de tarifas sobre as importações chinesas, segundo adianta a agência Reuters, num valor equivalente a quase 200 mil milhões de euros. Uma medida que poderia prejudicar as tentativas de diálogo entre Washington e Pequim.

Trump disse recentemente, via rede social Twitter, que os empresários norte-americano os não deveriam sentir-se alvo de pressão externa. Atualmente, estão em vigor tarifas sobre importações chinesas avaliadas em quase 50 mil milhões de euros. À medida a China respondeu com a mesma moeda.

E Pequim avisa: as medidas fazem mais mal do que bem à Economia norte-americana, como explicou Geng Shuang, porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, aos jornalistas:

“Penso que já notaram, depois das análise da intenção dos Estados Unidos de subir as tarifas sobre as importações chinesas em cerca de 200 mil milhões de dólares, que a maioria dos representantes acredita que esses aumentos vão prejudicar empresas norte-americanas ou mesmo destruí-las.

Não houve ainda um anuncio formal da parte da Administração norte americana. A notícia surgiu em várias publicações económicas nos Estados Unidos.

A ser verdade, trata-se de uma posição dura da parte de Donald Trump, quando se espera que o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, se sente à mesa com representantes de Pequim, para travar a guerra comercial .

Ler mais
Recomendadas

Trump será o primeiro líder estrangeiro a reunir-se com o novo imperador do Japão

O Presidente norte-americano, Donald Trump, será o primeiro líder estrangeiro a reunir-se com o novo imperador do Japão, Naruhito, em maio, anunciou na quinta-feira a Casa Branca.

Venezuela: Jornalista sueca expulsa do país assim que aterrou em Caracas

Uma jornalista sueca foi expulsa na quinta-feira da Venezuela assim que chegou ao aeroporto de Caracas, informou o Sindicato Nacional de Trabalhadores da Imprensa (SNTP) do país.

Congressista luso-americano diz que relatório Mueller ignorou abusos do FBI

O congressista luso-americano Devin Nunes reagiu à divulgação do relatório do procurador-especial Robert Mueller, considerando que este “ignorou uma série ampla de abusos” que teriam sido “cometidos durante a investigação do FBI” à campanha de Donald Trump.
Comentários