Barclays junta-se ao Lloyds na proibição de compra de criptomoedas com cartões de crédito

Depois do Lloyds ter proibido os clientes de comprar bitcoins através do uso de cartões de crédito, é a vez do Barclays equacionar a proibição, avança o El Economista.

Toby Melville/Reuters

O Barclays Bank juntou-se ao Lloyds na proibição de compra de criptomoedas cartão de crédito. Recorde-se que na semana passada foi noticiado que o grupo bancário britânico Lloyds Banking Group (liderado por António Horta Osório) anunciou que proibiu aos clientes a compra de bitcoins através do uso de cartões de crédito receando que os investidores fiquem endividados com a queda do valor da criptomoeda digital.

A subsidiária do Barclays nos EUA, através do seu cartão de crédito Barclaycard, está também a avaliar a proibição do uso dos cartões pelos seus clientes para a compra de criptomoedas no país, de acordo com o diretor de marketing do Barclays e diretor geral do Barclaycard em EUA, Paul Wilmore, ao blog ‘Bank Innovation’, avança o El Economista.

O banco com sede em Londres, segue assim os passos de outros grandes bancos dos EUA, como o Bank of America, o Citi ou o JP Morgan Chase.

O anúncio, que ainda não foi oficialmente confirmado pela própria instituição e não foi explicado se poderá estender-se às operações de todo o Grupo Barclays, ou se apenas ao mercado americano.

O preço da bitcoin, que atingiu  o recorde no final de dezembro de 2017, aproximando-se de 20.000 dólares, perdeu mais de metade do seu valor desde então. De acordo com dados da plataforma CoinDesk, a bitcoin ficou em torno de 8.280 dólares nesta sexta-feira.