Congressista discursa durante mais de oito horas em defesa dos imigrantes ilegais nos EUA

Foi o discurso mais longo na Câmara de Representantes e bateu o recorde de 1909, estabelecido por James Beauchamp Clark, que discursou durante cinco horas e 15 minutos contra uma reforma fiscal.

A líder do Partido Democrata na Câmara de Representantes no congresso dos Estados Unidos da América (EUA), Nancy Pelosi, de 77 anos, falou durante oito horas e 10 minutos em defesa dos imigrantes ilegais que residem no país desde crianças. Foi o discurso mais longo da história dos EUA na Câmara de Representantes, segundo historiadores ciatados pelo jornal “The Washington Post”.

Pelosi fê-lo em protesto, devido à administração Trump ter decidido suspender a DACA (Deferred Action for Childhood Arrival), uma lei decretada pelo ex-presidente Barack Obama em prol da legalização dos imigrantes que residem nos EUA desde a infância.

“Não há nada de partidário ou político na proteção dos dreamers [‘sonhadores’, refere-se aos filhos de imigrantes que aguardam pelo reconhecimento da sua cidadania nos EUA]”, afirmou Pelosi. “Elogio os meus colegas republicanos por terem tido a coragem de falar sobre isto, mas ainda assim os nossos dreamers continuam num limbo cruel, debaixo de uma nuvem de medo e incerteza”, acrescentou.

No Congresso, republicanos e democratas chegaram na quarta-feira a acordo para o orçamento dos próximos dois anos, sendo que a DACA não constava no acordo.

O discurso de Nancy Pelosi não se deve ao protesto pelo simples protesto, mas serviu para ganhar tempo de negociação. Na Câmara dos Representantes, o denominado grupo minoritário (o partido em minoria) não tem o mesmo peso político – quer em tempo de discurso ou iniciativa legislativa – que o grupo maioritário (partido em maioria) e, por isso tem de existir criatividade na hora de tentar impedir que leis sejam aprovadas. Foi isso que Nancy Pelosi fez, ao permanecer no púlpito, fez com que o orçamento acordado não fosse proclamado.

O prazo dado por Trump para se encontrar uma solução para os Dreamers termina a 5 de Março. Estão em causa cerca de 700 mil pessoas.