El Mundo: Portugal passou da “humilhação” do resgate à “recuperação” da economia graças a Centeno

“De uma personagem questionada pelas autoridades financeiras, Centeno tornou-se querido tanto de Washington como de Bruxelas”, referiu o jornal espanhol, apontando o ministro das Finanças português como um dos favoritos para a presidência do Eurogrupo em 2018.

Cristina Bernardo

O jornal El Mundo vê o ministro das Finanças, Mário Centeno, como um dos mais fortes candidatos à liderança do Eurogrupo. Numa altura em que a zona euro está a preparar a saída de Jeroen Dijsselbloem da presidência do grupo informal de ministros das Finanças, o português é uma possibilidade para o cargo, para o qual as candidaturas estão abertas até ao final do mês.

“Pouco mais de seis anos depois de se encontrar à beira da bancarrota e de ter pedido um humilhante resgate de 26.300 milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI), Portugal recuperou a estabilidade económica e caminha para saldar as dívidas pendentes com a instituição internacional”, escreve a publicação espanhola.

Segundo o El Mundo, a estabilidade económica deve-se em parte ao trabalho do “Ronaldo do Ecofin”, como Wolfgang Schäuble chamou a Centeno, e especialmente à política de reembolsos antecipados ao FMI.

“Os pagamento antecipados converteram-se numa espécie de política financeira não oficial do Governo de Costa, que visa cumprir os compromissos financeiros do país no exterior”, escreveu o jornal. “Os responsáveis pelas Finanças defendem a prática por considerarem que o país tem de aproveitar o cenário económico atual para reduzir a dívida de forma gradual e sustentável”.

Na semana passada, o ministério das Finanças anunciou um novo reembolso antecipado de 2.780 milhões de euros ao FMI, que fez com que o valor liquidado subisse para 76% da dívida à instituição. Assim, o Executivo de António Costa já pagou este ano 9.102 milhões de euros da dívida com os juros mais caros que Portugal tem, o que tem permitido reduzir os custos de gestão.

“Os reembolsos antecipados não só servem para livrar o Estado de parte dos interesses associados, mas também ajudam a tranquilizar as instituições internacionais e as agências de rating que inicialmente desconfiavam do ministro das Finanças, Mário Centeno”, sublinha o El Mundo, lembrando que uma das razões para a desconfiança das instituições internacionais foi a decisão de repor parcialmente os cortes nos salários da função pública.

“De uma personagem questionada pelas autoridades financeiras, Centeno tornou-se querido tanto de Washington como de Bruxelas”, referiu ainda. “Atualmente, Centeno está a emergir como favorito para a presidência do Eurogrupo, substituindo o holandês Jeröen Dijsselbloem em 2018”.

Ler mais
Relacionadas

Centeno vai presidir ao Eurogrupo? “Vamos ver”, diz primeiro-ministro

O primeiro-ministro manteve hoje em Gotemburgo a incógnita em torno da eventual candidatura do ministro das Finanças à presidência do Eurogrupo, afirmando que a decisão pode ser tomada até 30 de novembro e será tomada “no momento próprio”.

Eurogrupo. Como vai ser escolhido o sucessor de Dijsselbloem?

Candidaturas podem ser apresentadas até dia 30 deste mês e a votação para eleger o sucessor de Dijsselbloem terá lugar a 4 de dezembro. Neste período, há uma série de formalidades a cumprir.

Quem são os adversários de Centeno na corrida à liderança do Eurogrupo?

O presidente do grupo de ministros das Finanças da zona euro vai mudar no próximo ano e o debate sobre o assunto já começou. Apesar de o português Mário Centeno ainda não ter admitido interesse no cargo, o apoio de Espanha está garantido.

Eurogrupo: Espanha vota em Centeno que regista “simpática frase”

O ministro das Finanças, Mário Centeno, considerou hoje que a “simpática frase” de apoio do seu homólogo espanhol a uma eventual candidatura portuguesa à presidência do Eurogrupo espelha uma convergência de posições, mas escusou-se ainda a assumir se é candidato.
Recomendadas

Ligações fluviais entre Barreiro e Lisboa não estão asseguradas na manhã e início da tarde deste sábado

Entre as 7h25 e as 14h55, no sentido entre o Barreiro e Lisboa, e entre as 7h55 e às 15h25, no sentido contrário, as ligações não estão asseguradas, estando os horários “sujeitos a confirmação”, diz Soflusa em comunicado.

Irão anuncia captura de petroleiro britânico

Esta situação acontece no mesmo dia em Gibraltar estendeu por trinta dias o período de retenção do petroleiro iraniano Grace 1, retido há quase duas semanas neste território por suspeitas transporte de crude para a Síria.

Azeredo Lopes sabia desde o início do “encobrimento”, diz despacho do MP sobre Tancos

Segundo o despacho do MP, os procuradores do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) sustentam que, em agosto de 2017, dois meses antes do “achamento”, Azeredo Lopes teve uma reunião no Ministério da Defesa com o ex-diretor da Polícia Judiciária Militar, Luís Vieira, na qual foi informado – e deu o aval – do plano para a recuperação do material.
Comentários