Eurovisão: Procura internacional já ultrapassou os 72%, segundo o presidente da RTP

Estes dados demonstram “o interesse, a projeção que este evento vai ter”, o que se traduz numa “grande oportunidade para Portugal, para a indústria da música e para Lisboa”, afirmou Gonçalo Reis, à Lusa.

 O presidente da RTP, Gonçalo Reis, disse esta segunda-feira que 72% dos bilhetes para a Eurovisão, que decorre em maio em Lisboa, foram para o mercado internacional, num total de 80 países. Questionado sobre como está a decorrer a venda dos bilhetes da Eurovisão, o presidente da RTP afirmou que está a ser um “êxito enorme”.

Normalmente, disse, “o padrão dos bilhetes na Eurovisão é 70% para o mercado nacional”, de acordo com as últimas edições do evento. “Na Eurovisão de Lisboa 2018, a procura internacional já ultrapassou os 72%, vendemos bilhetes a 80 países”, sublinhou o gestor.

Estes dados demonstram “o interesse, a projeção que este evento vai ter”, o que se traduz numa “grande oportunidade para Portugal, para a indústria da música e para Lisboa”.

Lisboa vai ser palco das semi finais e final do concurso Eurovisão, que Portugal venceu na edição passada, o que corresponde a “uma semana inteira de grandes eventos”.

Relacionadas

Eurovisão: Câmara de Lisboa paga mais de dois milhões de euros pelo uso do Altice Arena

A Câmara Municipal prevê, no total, uma verba de cinco milhões de euros para a organização da Eurovisão – “que representa cerca de 1/3 dos custos da organização” -, dos quais 2,8 milhões serão transferidos para a RTP, segundo o protocolo a celebrar entre o município, a estação pública de televisão e a Associação de Turismo de Lisboa (ATL).

Eurovisão: sindicato acusa RTP de “más e antiquadas práticas laborais”

Número de voluntários pretendidos, cerca de 300, pode constituir um atropelo às leis sobre preenchimento de vagas temporárias.
Recomendadas

Avanços da Mercadona em Portugal não surpreendem

O anúncio de expansão da Mercadona em território nacional veio “agitar as águas”, abrindo a porta à reflexão sobre esta presença, mas também sobre o peso que assumem hoje as insígnias espanholas na distribuição portuguesa.

Marcas ocidentais perdem terreno nas preferências dos consumidores chineses

Enquanto a Apple, IKEA, Nike ou BMW perdem popularidade, marcas chinesas como a Alipay, Huawei ou Taobao sobem no índice de preferência dos consumidores.

Preços da eletricidade e gás em Espanha e Portugal são dos mais caros da União Europeia

No segundo semestre de 2017, a Espanha foi o sexto país da União Europeia com eletricidade mais cara (Portugal foi o quinto), segundo dados compilados pelo Eurostat. No topo desta tabela destacam-se a Alemanha, a Dinamarca e a Bélgica.
Comentários